27 de outubro de 2007

Úlltima Hora

IRRA!!!!!

Cão morre de fome em exposição
Artista da Costa Rica alvo de contestação mundial

Um artista da Costa Rica pôs um cão vadio em exposição na Nicarágua e deixou-o morrer à fome e à sede. Disse que estava a pôr à prova a hipocrisia das pessoas, mas está a ser alvo de forte contestação. Guillermo Habacuc Vargas expôs numa galeria de arte em Manágua um cão vadio que foi buscar a um bairro da lata. Sem água e sem alimentos, o cão morreu, na exposição, à vista de toda a gente. Maria do Céu Sampaio, presidente da Liga Portuguesa dos Direitos do Animal está indignada. Afirma que "isto não é arte, mas é única e simplesmente tortura num animal que não se pode defender". O cão morreu de fome à vista da frase "tu és aquilo que lês"... escrita com biscoitos para cão na parede da galeria de arte. Isabel Carlos, curadora de exposições de arte contemporânea, afirma que este tipo de arte não tem lugar nas suas exposições por ser "o chocar pelo chocar, o murro no olho, e arte baseada na provocação".
Sem esclarecer se o público sabia que o cão estava a ser deliberadamente deixado morrer por inanição, Guillermo Vargas disse pretender chamar a atenção para a hipocrisia das pessoas. "O animal transformou-se em centro das atenções por estar num local onde as pessoas querem ver arte, mas ninguém ligaria se ele estivesse a morrer de fome nas ruas. Ninguém libertou o cão, ou lhe deu de comer, ou chamou a polícia. Ninguém fez nada", disse ao jornal “Nácion”.
Guillermo Vargas foi seleccionado para representar o seu país, a Costa Rica, na bienal de arte centro-americana de 2008, a realizar nas Honduras. A decisão suscitou fortes reacções e deu lugar a uma petição na Internet, com mais de 92 mil assinaturas, a exigir que Vargas não seja aceite na exposição.

26 de outubro de 2007

Estante

Dog Behaviour, Evolution, and Cognition
de ADAM MIKLOSI
304 pag
Oxford University Press, USA (Janeiro 21, 2008 - a Não Perder!)

Dog Behaviour, Evolution, and Cognition é o primeiro livro a sintetizar as últimas investigações sobre comportamento, evolução e cognição do cão.
O autor apresenta uma nova aproximação e compreensão do comportamento do cão, demonstrando ainda que os cães podem ser sujeitos a estudos científicos rigorosos sem haver necessidade de estarem confinados a ambientes de laboratório.
Esta fantástica obra começa com a revisão dos temas e conceitos associados ao estudo ciêntifico sobre o cão, seguindo-se uma breve descrição do papel perante as sociedades humanas.
Uma prespectiva evolutiva apresenta um sumário sobre as pesquisas actuais acerca do processo de domesticação. A parte central do livro foca os aspectos cognitivos do comportamento que, nos últimos anos, receberam uma atenção particular, quer seja por parte dos psicólogos quer etólogos.
O capítulo final introduz o leitor a múltiplos aspectos - uma absoluta novidade - acerca do comportamento do cão e que foram estudados no contexto do desenvolvimento comportamental e da genética.
Um dado absolutamente fascinante é a ponte que o autor faz com as conclusões advindas dos estudos sobre os primatas, desenhando homologias e analogias tanto no que respeita a evolução como o comportamtento.
O Autor: Adam Miklosi é professor de Biologia e chefe do departamento de Etologia na Universidade de Eotvos, em Budapeste, na Hungria. Completou o doutoramento em 2005 e já publicou mais de 40 títulos - todos considerados uma referência sobre o comportamento animal - cão.

Cartoon




25 de outubro de 2007

Última Hora

Dogs Copy Other Dogs' Actions Selectively






The phenomenon under investigation is known as "selective imitation" and implies that dogs - like human infants -- do not simply copy an action they observe, but adjust the extent to which they imitate to the circumstances of the action.


New research by Friederike Range and Ludwig Huber, of the University of Vienna, and Zsofia Viranyi, of the Eötvös University in Budapest, reveals striking similarities between humans and dogs in the way they imitate the actions of others. The phenomenon under investigation is known as "selective imitation" and implies that dogs--like human infants--do not simply copy an action they observe, but adjust the extent to which they imitate to the circumstances of the action.
In the study, dogs were faced with the task of opening a container with food by pulling a rod. Whereas dogs prefer to use the mouth for this task, a female dog was trained to open the box with her paw. When the other dogs observed the female's action, they imitated it in order to get the food. However, the dogs imitated selectively. They used their mouths instead of their paws for manipulating the rod when they had seen the demonstrating dog using her paw while holding a ball in her mouth. However, when the demonstrating dog's mouth was free, the dogs imitated her action completely and used the paw themselves.
This means that the way the dogs imitate is tuned to the goal of the action. If the dogs perceive the demonstrator being unable to use her mouth, because she holds a ball in it, they choose the easier, more preferred way to achieve the goal. But when the mouth is free, there appears to be a reason for the demonstrating dog not to use her mouth, and so the dogs imitate the action.
The new work shows for the first time that animals do imitate selectively. This reveals a striking parallel between dogs and human infants in that they do not simply "ape" an action, but only do so if it appears appropriate for the goal. In that sense, dogs seem more similar to us humans than are our biologically closest relatives, the chimpanzees, which will in similar tasks always opt for the more effective way of attaining the goal.
A number of such striking cognitive parallels between humans and dogs have been documented in recent years and are presumably due to the long intimate communicative relationships humans have had with dogs during their domestication.
The researchers include Friederike Range and L Huber of University of Vienna in Vienna, Austria; Zs Viranyi of Konrad Lorenz Institute for Evolution & Cognition Research in Altenberg, Austria and Eötvös University in Budapest, Hungary.
- Range et al.: "Selective imitation in domestic dogs." Publishing in Current Biology 17, May 15, 2007.

19 de outubro de 2007

Humor de Cão


Ser a Maria dos cães têm destas coisas:

Descia a rua para ir ao parque passear os rapazes e eis que o meu vizinho me chama e diz:

-Bom dia, sabe o que diz a vaca para o gato?
"tão pequenino e já com bigode!"
e responde o gato:
"e tu?! tão grande e sem soutien!"

AH!!!!

18 de outubro de 2007

Galeria de Arte

Termina exposição sobre animais na arte através dos tempos
Terminou a exposição que mostrava como artistas de várias épocas retrataram o mundo animal. A mostra esteve patente no museu Wallraf, na cidade alemã de Colónia, e incluiu obras de pintores tão famosos como Vincent van Gogh, Eugène Delacroix, e Franz Marc.
Um total de 150 obras entre pinturas, esculturas, animais empalhados, fotografias e cerâmica.
A exposição exibiu uma série de três pinturas .raras de Vincent van Gogh, cada uma delas com um animal: um caranguejo, uma borboleta e um morcego.
Evolução
A partir do século XV os europeus entraram em contato com animais exóticos trazidos pelas expedições.
Estes animais foram pintados por vários artistas que, principalmente nos séculos XVI e XVII, os retractavam em paisagens européias ou misturados com a fauna local.
O primeiro zoológico público abriu em Paris, em 1792 e influenciou a visão dos artistas, que já não se satisfaziam em pintar animais estáticos mas sim em acção.
Em 1859 a publicação da teoria da evolução de Darwin muda novamente o ponto de vista dos artistas, que se começam a interessar mais pelos macacos e a retratar os animais no seu habitat natural.
Telas:
tela do honlandês Vincent van Gogh, Caranguejo caído de Costas
tela de 1880 por Wilhelm Truebner -tigres e gazela
tela de Eugène Delacroix, 1830 - Tigre Brincando
tela de pintor Gabriel Max, de 1889 - cão
tela de Tethard Philip Christian, de 1776 que mostra como no século XIX, os primatas não eram retractados no seu habitat natural.
tela de Franz Marc, 1913, três gatos e um estilo mais moderno e menos naturalista de retractar os animais na pintura.




Úlltima Hora


O Zoo de Londres revela fotos históricas

A Sociedade Zoológica de Londres (SZL) começou a vender na internet, e pela primeira vez, fotos históricas do seu arquivo de imagens de animais – cobrindo os 180 anos da história do Zoológico de Londres.
Fotos de carruagens puxadas por zebras, elefantes passeando pelas ruas de Camden Town - região que hoje é das mais turisticas - e fcrias de urso a brincar com criasde de tigre fazem parte do rico acervo da SZL.
A direção da sociedade decidiu oferecer também o seu arquivo histórico na internet, depois de várias pessoas comentaram a nova decoração do escritório da SZL, que misturava imagens antigas e modernas do arquivo.
"Várias pessoas perguntaram se poderiam comprar as fotos, e isso fez com que nos déssemos conta do fascinante arquivo de imagens que temos", disse Caroline George, que ajudou a organizar as fotos históricas.
Além de servir como lembrança da história do próprio zoológico londrino, as fotos e slides do arquivo histórico mostram também as mudanças de atitude diante do meio ambiente e dos animais.
A SZL também oferece cópias das imagens históricas. O dinheiro das vendas é investido nos projectos de conservação da sociedade em todo o mundo. FANTÁSTICO!

17 de outubro de 2007

Galeria de Arte



Miles, is that you?

Cartoon




Úlltima Hora


Animais de estimação vão ter um Telemovel-GPS.
O aparelho chama-se PetsCell, desenvolvido pela PetsMobility. O produto deverá ser comercializado em meados de 2008. O equipamento combina a tecnologia do GPS e a do telemovél. Assim, o dono pode encontrar os seus animais, que se perderam ou fugiram, e receber notificações caso estes estejam fora da sua área de residência. Quem os encontrar poderá imediatamente entrar em contato com os donos pelo telemovél embutido na coleira. No equipamento há um botão vermelho que ao ser acionado gera uma chamada automática para o telefone do proprietário.
Da mesma forma, o dono pode fazer uma ligação directamente para o animal, para falar com ele ou para o tranquilizar.
O valor do PetsCell ainda não foi divulgado, mas de acordo com o site Popgadget, o telefone deve custar cerca de 500 dólares, mais as taxas mensais de manutenção.

15 de outubro de 2007

Úlltima Hora

Zumbido de Abelhas espanta Elefantes
Investigadores da Universidade de Oxford descobriram que os elefantes abandonam rapidamente uma área depois de ouvir a gravação do som de abelhas nas colméias. As abelhas podem dar picadas bastante dolorosas na parte interior da tromba dos elefantes. Os investigadores calculam que os elefantes aprenderam a fugir dos insectos.
Alimentação e Armadilha
Os elefantes gostam muito de milho. Porém, o milho é não só a principal fonte de alimentação como também a renda de milhões de africanos. Os animais costumam procurar as plantas pouco antes da época das colheitas. Os investigadores consideram a hipótese de usar o barulho do zumbido das abelhas para afastar os elefantes das plantações.
A investigadora Lucy King afirma que colocar o som de abelhas em alto-falantes para os elefantes ouvirem poderá ser um bom método para preservar as plantações, mas, infelizmente, nem todos os moradores de vilarejos africanos têm dinheiro para comprar estes equipamentos.
Neste caso pode funcionar usar mesmo abelhas.

Galeria de Arte


you are so beautifull to me...

12 de outubro de 2007

Cartoon




Úlltima Hora

Universidade brasileira vai deixar de usar animais para os estudantes de medicina veterinária treinarem
Anestesiar animais apanhados na rua, na maioria cães, para ensinar os procedimentos médicos como as suturas, incisões e punções vai deixar de fazer parte da rotina dos professores e alunos de medicina veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul).
A direção do curso montou um laboratório para as aulas práticas de técnicas operatórias com simuladores plásticos e sangue artificial.
"Queríamos acabar com um problema que sempre existiu nas faculdades de medicina. Algumas criam os seus próprios animais para os usar nas aulas, ainda vivos. Mas, e depois? O que é que se faz com eles? Uma eutanásia provocada? ´Há alguém para passar a cuidar deles?", questiona o director da faculdade de medicina, Mauro Czepienewsk.
Czepienewski refere que os estudantes e professores se deparavam com um problema moral, de ter que abrir um cão vivo e, em seguida, descartá-lo.
"Nos víamos-nos diante da questão: acabar com a uma vida para preservar a vida. Por isso, passámos a procurar uma alternativa", afirma.
O projecto custou 300 mil reais, e não inclui fora a manutenção dos equipamentos e reposição de material cujo preço varia entre os R$ 200 para a pele artificial e os R$ 8.200 um equipamento com artérias e veias.
O professor adjunto de urologia e um dos coordenadores do Laboratório de Técnica Operatória e Habilidades Cirúrgicas, Milton Berger, afirma que os alunos se sentem muito mais seguros para aprender.
"O novo método tranquiliza muitos alunos pois estes tinham pena de treinar nos cães. Os simuladores são mais próximos ao corpo humano para além de acabar com uma série de implicações morais." No laboratório, os alunos utilizam braços e pedaços de pele falsos para aprender a suturar e fazer incisões, além de um torso, onde fazem punções e colhem sangue (artificial). Também são realizadas práticas mais complexas, como suturas dos intestinos grosso e delgado em um material que simula os órgãos a ponto de a mucosa e a textura serem semelhantes às do corpo.

2 de outubro de 2007

Obedience

A 11ª Prova do Campeonato Nacional de Obediência está confirmada para o dia 06/10/2007 sábado de tarde, a prova terá lugar no pavilhão multiusos do Centro de Exposicões de Beja.
A organização será do Clube Cinófilo do Alentejo, e o nome da prova será Troféu Canibeja 2007. Juízes: Vasco Ribeiro, Rui Branco Comissários: Luis guerreio e T. Vasconcelos

Horário:13:00h - Admissão dos concorrentes 14:00h

Inicio da ProvaCOB-
Classe 1
Classe 2
Classe 3
Elite
Pela informação que temos não oficial e porque os comissários também são concorrentes, a prova começará por Classe Elite????

Obedience


Video Copper e Synnove -campeões Noruega 2006 - Competição na Noruega

1 de outubro de 2007

Seminário Obedience


A Bi-Campeã do Mundo de Obedience esteve este fim de semana em Palmela - Aires nas instalações da Quinta das Tílias para mais uma formação aos practicantes de Obedience.




Kjellaug Selsaas foi Campeã da Europa em 2005, na Áustria e Campeã do Mundo em 2006 na Polónia.

Kjellaug é uma instrutora extremamente simples e a sua metodologia de trabalho baseia-se numa consistência de treino que ultrapassa os limites do ringue.


Obrigado
THANK YOU

p.s. as inumeras recomendações de treino são em muitos aspectos novidade e por isso merecem um destaque maior e que atempadamente aqui será postado.